Congresso Brasileiro do Sono

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PERFIL DO ÍNDICE DE APNÉIA E HIPOPNÉIA DE PACIENTES SUBMETIDOS À POLISSONOGRAFIA TIPO III EM AMBIENTE DOMICILIAR

Introdução

Muito tem se discutido acerca da conscientização e importância do diagnóstico dos distúrbios do sono de forma precoce. O impacto e a conduta adequada para tratamento desses distúrbios, varia em função da avaliação clínica e análise do exame padrão para monitoramento do sono: a polissonografia.

Objetivo

Atualizar o perfil do Índice de Apnéia e Hipopnéia de pacientes submetidos à polissonografia tipo III em ambiente domiciliar, comparando-o ao perfil encontrado em edições publicadas do mesmo estudo no último quinquênio.

Métodos

Foram analisados os laudos procedentes da realização da polissonografia tipo III, do segundo semestre de 2018 e primeiro semestre de 2019. Correlacionou-se aos IAHs, a faixa etária e o sexo dos pacientes. Posteriormente, avaliaram-se as homogeneidades e heterogeneidades apresentadas entre o estudo atual e os achados do mesmo estudo realizado entre janeiro de 2012 a agosto de 2013; de agosto de 2014 a agosto de 2015; ao ano de 2017 e primeiro semestre de 2018.

Resultados

Foram analisados 1154 laudos de polissonografia tipo III, sendo constatado que 56% dos pacientes submetidos ao exame eram pertencentes ao sexo masculino. A faixa etária mais expressiva dos pacientes identificada nos laudos foi de 31 a 41 anos de idade para ambos os sexos, seguida de 22% entre 41 e 51 anos para homens e mulheres, sendo também evidenciado representatividade de 18% para mulheres entre 51 e 61 anos. Constatou-se que 14% das mulheres e 27% dos homens apresentaram grau acentuado de IAH. Comparado aos estudos anteriores, homens e mulheres entre 31-40 anos e 41-50 anos são os que mais se submeteram ao exame de polissonografia. A relação dos achados evidenciou, ainda, redução da incidência de IAHs acentuados para resultados com o índice categorizado como leve, na população estudada.

Conclusões

Os dados obtidos convergem com a literatura atual em percentis de sexo e classificação para IAHs. No que diz respeito a equiparação anual, o aumento da amostra torna os achados mais relevantes. O aumento da faixa etária encontrada pode ser interpretado como fruto da maior divulgação entre a classe médica e profissionais de saúde da importância do diagnóstico dos distúrbios do sono e da própria população na medida em que a educação em sono tem sido incentivada e estimulada.

Palavras-chave

Polissonografia, Índice de Apneia e Hipopnéia, Ambiente Domiciliar.

Área

Área Clínica

Autores

Lidiane Santana, Aldeni Lima, Sandra Jordão de Brito, Carolina Almeida