Congresso Brasileiro do Sono

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

O USO DE MÍDIAS DIGITAIS E DISTÚRBIOS DO SONO: IMPACTO EM CRIANÇAS DE 6 A 13 ANOS

Introdução

O sono extrapola a ideia de recuperação energética. No período de descanso ocorrem as regulações hormonais, a consolidação ou descarte das informações que formarão a memória e os processos decisórios no estado de vigília (COREN, 2009).
Fatores modificáveis como os hábitos de vida podem influenciar a qualidade do sono (SCAMMELL, T.; ARRIGONI E.; LIPTON L., 2017). Cerca de 72% das crianças entre 6 e 17 anos tem pelo menos um dispositivo eletrônico em seu quarto de dormir e que está associado a pior qualidade do sono (NATIONAL SLEEP FOUNDATION, 2014).
O estabelecimento de limites (NUNES; BRUNI, 2015) e limite do uso de equipamentos no quarto de dormir (TOUITOU, Y.; TOUITOU, D.; REINBERG, 2016) têm efeito na qualidade do sono. Colabora, também, os hábitos dos pais que servem como modelo para os filhos (NATIONAL SLEEP FOUNDATION, 2014).
O uso de equipamentos está relacionado com distúrbios do sono, e o sono insuficiente associado ao uso excessivo de telas demonstrou associação com a piora da cognição global (LEBOURGEOIS et al., 2017; WALSH et al., 2018).
Dada a importância do sono na saúde, na prevenção de doenças orgânicas e psíquicas (ASTILL et al., 2012), é fundamental identificar em nosso meio como as crianças estão tendo acesso aos equipamentos eletrônicos e como está a qualidade do sono.

Objetivo

Relacionar o uso de mídias à qualidade do sono.
Contrastar a relação entre o tempo de uso de telas e presença de sono insuficiente; e distúrbios do sono.
Verificar associação do uso de mídias eletrônicas após às 21 horas e a presença de distúrbios do sono.
Avaliar a presença de distúrbios do sono nas crianças que possuem equipamentos eletrônicos no quarto de dormir.

Métodos

Trata-se de um estudo quantitativo, observacional, transversal, descritivo e analítico, com 604 estudantes de 6 aos 13 anos de uma escola de Passo Fundo, norte do Rio Grande do Sul. A coleta será realizada por meio de questionários enviados aos pais, através de agenda escolar, solicitando dados sociodemográficos, dados de saúde, hábitos e uso de mídias eletrônicas.

Resultados

SEM RESULTADOS

Conclusões

Esperamos encontrar que a exposição às mídias eletrônicas estará relacionada à tempo de sono insuficiente e a presença dos distúrbios do sono; a exposição noturna às telas (após às 21 horas) terá influência na qualidade do sono; a presença de dispositivos eletrônicos nos quartos de dormir estará relacionada a pior qualidade do sono.

Palavras-chave

Sono; distúrbios do sono; crianças; tempo de tela; mídias eletrônicas

Área

Projeto

Autores

Tiago Teixeira Simon, Rafael Jonas Sardá